Viver em condomínio: Uma boa opção?

É inegável que o paradigma urbano sofreu mudanças ao longo dos tempos. Num passado não tão remoto as cidades eram divididas em lotes de terreno com grandes dimensões onde o proprietário construía a sua casa e reservava um extenso quintal para ser utilizado no cultivo de hortaliças, árvores frutíferas e diversão das crianças.

Com a escassez de espaço e a busca por segurança, esses grandes lotes passaram a abrigar edifícios, formando condomínios e reunindo várias famílias onde havia somente uma.

Seguindo a transformação surgiram os “condomínios clubes” formados por várias torres e com área de lazer contendo, frequentemente, piscinas, saunas, academias, churrasqueiras, salão de festas, cinema, salão de jogos, brinquedoteca, quadras poliesportivas, além de outras opções para a diversão das crianças e dos adultos.

Ocorre que os condomínios reúnem famílias com costumes diferentes e a vida em harmonia exige de todos obediência às regras básicas da convivência em sociedade e da utilização dos espaços comuns, bem como o rateio das despesas necessárias para a conservação e a manutenção do empreendimento.

O bom senso e o respeito pelos direitos dos demais condôminos possibilitam a convivência, enquanto as opções de lazer e principalmente a segurança permitem concluir que viver em condomínio é uma boa opção.

Uma dica primordial para quem pretende comprar um apartamento em um condomínio já instalado é:Antes de comprar o seu apartamento busque conhecer as regras existentes na Convenção e no Regimento Interno. Certifique-se de que é possível e você está disposto a obedecê-las. Evite as surpresas, os conflitos e os arrependimentos. Qualquer alteração nas regras dependerá de votação em assembléia e será aprovada ou rejeitada de acordo com a vontade da maioria.

Se optar por adquirir um imóvel na planta, observe algumas dicas que merecem destaque:

1 – Leia atentamente os documentos que irá assinar. Existem regras estabelecidas na minuta da Convenção de Condomínio redigida pela construtora ou incorporadora que você estará obrigado a obedecer. Se não concordar, não compre.

2 – Após a construção da obra e o recebimento do seu apartamento, participe das assembléias, opine, vote. É nas assembléias que os assuntos são discutidos e aprovados. A vontade da maioria prevalece e obriga a todos, inclusive aqueles que não participaram da votação.

3 – Definidas as regras, cumpra-as.
Como se vê são poucas as dicas, porém ao segui-las você certamente se adaptará à vida em condomínio e poderá desfrutar das vantagens oferecidas, pois, respeitando o direito alheio, viver em condomínio é uma boa opção.

Crédito: Dr Anselmo Malvestiti – OAB/SP 242.109

Matéria concedida pelo colunista Dr. Roberto Benetti Filho / Benetti Advogados contato: (19) 3542-6448

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.