Problemas comportamentais e sinais de estresse nos pets: ao que o tutor deve estar atento

O comportamento dos animais de estimação geralmente está diretamente ligado ao seu estilo de vida, como o tutor se relaciona com ele e, consequentemente, ao seu bem-estar. Para evitar que eles apresentem sinais de estresse, angústia ou agressividade é preciso ter atenção às atitudes do pet, compreendendo e respeitando as necessidades individuais de cada um.

Atente para dicas importantes para interações benéficas e positivas entre o tutor e seu pet.

Mudanças repentinas no comportamento

Muitas vezes, alterações de humor ou problemas comportamentais podem ser os primeiros indicadores de que algo não está bem. Dores, desconfortos e outros sintomas relacionados a alguma doença podem provocar mudanças nos hábitos dos pets.

Entre os felinos, ao invés de exibir sinais óbvios, é mais provável que eles reajam inibindo comportamentos normais e tornando-se inativos em atividades antes recorrentes de sua rotina, como na higiene e na alimentação.

Sinais comuns de estresse

Tanto cães quanto gatos podem apresentar sintomas semelhantes que indicam que o estilo de vida não está saudável. Diarreia ou constipação, diminuição de apetite, aumento de sono, agressividade, hiperatividade ou o desejo de ficarem isolados são comportamentos que devem disparar um sinal de alerta no tutor.

Gatos podem começar a urinar fora de sua caixa de areia, assim como miar, arranhar ou se coçar em excesso.

É importante ressaltar que essas reações podem ter origem em diferentes causas, por isso é fundamental o acompanhamento de um Médico-Veterinário de confiança. Ele poderá auxiliar o tutor a identificar o que está acontecendo com seu pet.

O que o tutor deve se perguntar

Para encontrar a solução para os incômodos, o tutor precisa compreender a causa raiz do problema. Ele deve se questionar se houve, por exemplo, alguma mudança recente no ambiente, a chegada de uma nova pessoa, um novo pet ou objeto na casa, se existe algum barulho adicional que possa gerar desconforto, etc. Alterações na alimentação do pet e no local em que ele faz as necessidades também pode provocar reações negativas, principalmente em gatos, que têm tendência a serem mais sensíveis a mudanças.

 

Fonte:

InPress Porter Novelli

Email geral equipe Royal Canin: [email protected]

Imagem: Divulgação

 

, , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.