Patrimônio ambiental decretado pela Assembleia, mico-leão-preto se reproduz em cativeiro em SP

Zoológico da cidade de São Paulo anuncia no sábado, dia 5, nomes escolhidos para os filhotes.

Considerado patrimônio ambiental do Estado por meio do Decreto 60.519/2014, da Assembleia Legislativa de São Paulo, os micos-leões-pretos já foram considerados extintos na natureza. Porém, desde o final do século passado eles entraram para o grupo de animais ameaçados de extinção.

Uma das razões é que a população dessa espécie tem conseguido se reproduzir em cativeiro. Neste ano, em fevereiro, dois filhotes nasceram no Zoológico de São Paulo. No próximo sábado, dia 5 de junho -data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente-, o parque anuncia os nomes escolhidos para o casal de recém-nascidos.

O decreto do Parlamento paulista também criou, inclusive, a Comissão Permanente de Proteção dos Primatas Paulistas -Pró-Primatas Paulistas. O objetivo é evitar o desaparecimento das espécies primatas, combatendo o desmatamento e ressaltando a importância dos animais na literatura, na ciência, na cultura e no imaginário da população, com o compromisso do Estado de São Paulo em fazer cumprir a diversidade biológica.

O mico-leão-preto é uma das espécies de primatas mais raras e ameaçadas do mundo. A espécie é endêmica, ou seja, ocorre apenas na porção oeste e sul do Estado de São Paulo, nos remanescentes de Mata Atlântica e de matas ciliares. A preservação dessas unidades florestais é fundamental para a sobrevivência desses animais no seu ambiente.

A bióloga Marlina Abonizio afirmou que é necessário ter uma maior valorização das espécies no Brasil. Ela defende a criação de um programa bem elaborado de educação ambiental, “para ampliar os conhecimentos da importância desses primatas, bem como para trazer maior sensibilidade das pessoas sobre o assunto”. “Além disso, poderia ocorrer a promoção de novas alternativas de desenvolvimento sustentável que valorizassem a natureza e a geração de renda para as comunidades locais”, disse.

Características

Os micos-leões-pretos são ótimos dispersores de sementes, auxiliando na manutenção das florestas locais onde vivem. Também participam no equilíbrio da teia alimentar local, pois além de frutos, se alimentam de invertebrados e pequenos vertebrados, como lagartixas, aves e pererecas, e tem como predadores naturais algumas aves de rapina, serpentes, iraras e felinos.

Eles vivem em grupos familiares de 2 a 8 indivíduos e se comunicam entre si, emitindo diversos tipos de vocalizações, tanto para os membros do próprio grupo, como de grupos vizinhos. Eles realizam suas atividades durante o dia e, à noite, se abrigam em ocos de árvores para dormir.

Os indivíduos adultos pesam cerca de 600 gramas. Têm o corpo coberto por uma pelagem longa, predominantemente preta, com exceção do dorso, que apresenta coloração alaranjada. Além da pelagem na cabeça, que se assemelha a uma juba de leão e que dá o nome popular da espécie.

, , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.