No vinho, na uva e no creme: como adicionar resveratrol, a poderosa substância anti-idade, na rotina

Você já parou para pensar por que será que, mesmo não incentivando o consumo de álcool, as pessoas dizem que um copo de vinho tinto por dia é bom para você? Isso é graças a um antioxidante chamado resveratrol. “Essa molécula traz vários benefícios para a saúde em virtude da sua ação antioxidante, que funciona para combater o envelhecimento. Além disso, o resveratrol é capaz de ativar a sirtuína-1, proteína que age no aumento da longevidade celular”, explica a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e do American College of LifeStyle Medicine. “Esse polifenol é encontrado, principalmente, na casca e nas sementes das uvas vermelhas ou pretas. Ele é antioxidante, retarda o processo do envelhecimento, protege contra a radiação ultravioleta e é uma das substâncias mais importantes para um efeito anti-idade complementar, na medida em que aumenta a longevidade celular”, explica a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Em maior quantidade, o resveratrol está presente nas uvas vermelhas, mirtilos e vinho tinto, mas ele também pode ser encontrado no hibisco, no amendoim e no cacau em pó.

A lista de benefícios do resveratrol é extensa e compreende todo nosso organismo: “Ele tem ação anti-inflamatória, atuando na recuperação celular; combate a aterosclerose, ao evitar a oxidação do colesterol LDL, conhecido como o colesterol mau, diminuindo a possibilidade de entupimento das veias e artérias; também protege o organismo contra efeitos prejudiciais do envelhecimento por ativação de enzimas chamadas sirtuinas, que impactam na regulação da transcrição celular, apoptose e resistência ao stress, como também no equilíbrio de processos metabólicos que levam a doenças crônicas como diabetes e obesidade”, explica a Dra. Marcella Garcez. O resveratrol é tão impactante para a saúde que consegue fazer uma bebida alcóolica, o vinho, ter benefícios, quando consumida com moderação. “O ideal então é limitar o consumo diário a, no máximo, uma taça de até 150ml e optar sempre pelas variedades que apresentam funcionalidades, como o vinho tinto e seco. O vinho tinto, na verdade, figura entre as bebidas alcoólicas mais saudáveis, pois, é fermentado e rico em polifenóis, como o resveratrol, que são substâncias com grande poder antioxidante. Quando ingerido na quantidade adequada, o vinho tinto ainda favorece a circulação e melhora a saúde cardiovascular”, afirma cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) e do American College of Lifestyle Medicine.

Para entender a importância de contar com esse poderoso antioxidante como aliado, a cirurgiã plástica Dra. Beatriz explica: “Ele combate os radicais livres que, em excesso, podem alterar proteínas, lipídeos e até mesmo o DNA. Quando nosso sistema antioxidante endógeno não é suficiente, temos uma condição chamada estresse oxidativo, responsável por muitas doenças e inclusive pelo envelhecimento”. De acordo com a médica, nosso organismo conta com três barreiras antioxidantes e o resveratrol está na linha de frente. “A primeira barreira são as vitaminas, resveratrol, e tudo aquilo que já ouvimos falar sobre antioxidantes (pode investir no suco verde, cúrcuma, pois realmente funcionam). Se essa barreira não for suficiente, temos um sistema de enzimas que transforma os radicais livres em substâncias menos reativas e com menor capacidade de danificar outras moléculas. E ainda temos enzimas capazes de destruir proteínas alteradas pelos radicais livres”, afirma.

Além de se alimentar com o resveratrol, existem produtos tópicos ou orais com o ingrediente que são capazes de proteger o DNA de uma célula contra danos causados pelos radicais livres. “Quando falamos em ‘neutralização dos radicais livres’, isso promove um impacto direto na redução dos sinais do envelhecimento e danos celulares responsáveis por câncer de pele”, afirma a médica Dra. Beatriz. “O resveratrol é apontado como uma substância que aumenta a telomerase, uma enzima que protege os telômeros, que são estruturas de DNA que, a cada replicação das células, se encurtam. Cientistas atribuem a isso o envelhecimento. Por isso, a ação antioxidante e protetora do resveratrol é tão importante”, comenta a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “O resveratrol chega a ser 1000 vezes mais antioxidante que a Vitamina E, 200 vezes mais antioxidante que a Vitamina C. Os polifenois, quando o assunto é antioxidação, são os campeões, superam tudo”, destaca o farmacêutico Dr. Maurizio Pupo, pesquisador, consultor em cosmetologia e diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Ada Tina Italy. “O resveratrol também é antiglicante, protegendo contra o envelhecimento causado pelo açúcar. Quando eu aplico o resveratrol diretamente na pele, eu estou dando para as células tudo que elas precisam para ter longevidade e proteção do material genético. O resveratrol protege a pele contra a radiação solar, a poluição, o frio, o calor, contra todos os agentes externos. Inclusive se a sua vida não for regrada por algum motivo, você trabalha demais, dorme de menos, se você usar resveratrol sobre a pele, você poupa as células da sua pele e faz com que elas permaneçam mais jovens por mais tempo”, completa o Dr. Maurizio.

O resveratrol é anti-inflamatório, então ele ajuda a poupar proteínas estruturais da pele. “Ele vai poupar colágeno, elastina e ácido hialurônico que seriam destruídos pelo sol. Também vai clarear manchas, porque ele é um antioxidante e a melanina que forma a mancha é uma ferrugem propriamente dita: o aminoácido tirosina se enferruja tornando-se melanina. E quando se torna melanina, que é marrom escura, forma-se a mancha. O resveratrol impede essa ferrugem e oxidação”, explica o Dr. Maurizio Pupo.

Os bons efeitos do resveratrol não param por aí, já que ele também é capaz de estimular a proliferação celular saudável. “É basicamente uma mina de ouro com efeitos antienvelhecimento, incluindo a proteção da pele contra enzimas prejudiciais e o aprimoramento da função dos fibroblastos responsáveis pela criação de colágeno saudável”, diz a médica Dra. Beatriz.

O ideal é usar produtos tópicos ou orais com resveratrol a partir dos 25 anos, já que essa é a fase em que ocorrem os primeiros processos de envelhecimento. “Caso haja necessidade, pode ser feita ainda a suplementação desse antioxidante. Para isso, consulte sempre seu médico ou nutricionista”, finaliza a Dra. Beatriz.

, , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.