Horta Comunitária recebe equipamentos do Rotary Araras Alvorada

 

A horta comunitária do Jardim Rosana recebeu na manhã do último sábado (6), os equipamentos conquistados pelo Rotary Club de Araras Alvorada pelo programa de Subsídio Distrital. Os recursos são provenientes do fundo financeiro do próprio Distrito 4590, do qual o Araras Alvorada e outros 72 clubes da região fazem parte.

Com isso, a horta, localizada na região oeste da cidade, agora conta com um novo sistema de irrigação, roçadeira e cortadeira, além de EPI’s usados para toda operação que vai desde o preparo da terra, plantio e colheita.

Durante o ato de entrega, alguns companheiros do clube participaram da colheita de alimentos, além de já constatarem o funcionamento da irrigação, instalada dias atrás, e que é abastecido por um poço artesiano existente no local.

“Faz parte da nossa missão poder contribuir com a comunidade local. E hoje, com essa ação, estamos permitindo que essa proposta continue”, disse a atual presidente do clube, a advogada Daniele Olímpio.

Investimentos

Para a aquisição dos equipamentos o clube contou com R$ 5.158 do fundo distrital, o que equivale a mil dólares rotários, porém, por iniciativa do próprio Araras Alvorada, foi realizado um aporte que totalizou R$ 5.550,26, o que permitiu chegar ao valor de todo equipamento necessário para o projeto.

O fundo distrital é alimentado por projetos desenvolvidos e/ou apoiados pelos próprios clubes. Em tese, os Subsídios Distritais financiam atividades menores e mais curtas que atendem a necessidades da sua comunidade e de comunidades no mundo todo. Cada distrito escolhe quais atividades custeará com esses subsídios. Anualmente os clubes são convidados a apresentar propostas que são analisadas pela comissão distrital de projetos que considera diversos fatores para sua aprovação, como a relevância, impacto em número de envolvidos, sustentabilidade e ainda o envolvimento dos próprios rotarianos do clube em sua aplicação.

O rotariano Ricardo Buso, que preside a Comissão Interna da Fundação Rotária, no Araras Alvorada, destacou que o projeto foi aprovado por contemplar todos os requisitos exigidos, e que são rigorosos. “Além de trabalhar a educação ambiental, envolvendo principalmente as crianças, ele promove o voluntariado e a distribuição de alimentos. E, entre os requisitos, ele provê o desenvolvimento sustentável sem a necessidade do poder público e sem a interferência contínua de Rotary”, completou.

Jardim das Crianças

Intitulado de “Jardim das Crianças”, o projeto chegou ao Araras Alvorada pelo rotariano Edson Gusmin. No local são desenvolvidas atividades lúdicas, de recreação e educação ambiental para crianças, idosos e outras pessoas com necessidades especiais, com coordenação de Ricardo Gonzaga da Silva, que é morador do bairro, e supervisão do professor de horticultura, Fernando Cesar Sala, da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), campus de Araras.

“Eu me encantei pelo projeto por ele trazer a principal filosofia de trabalho do Rotary, porque aqui, além de voluntariado vemos a doação de tudo o que é produzido. E hoje, com essa entrega, temos a melhoria da qualidade de vida daqueles que vão usufruir desses alimentos”, disse Gusmin durante o ato oficial de entrega.

Atualmente, 16 instituições parceiras são contempladas com os alimentos produzidos no local, além de outras 650 famílias que também retiram os produtos. Entre essas instituições está a Amcra (Associação de Amigos das Crianças de Araras) que foi a instituição beneficiada, sendo responsável por receber os equipamentos comprados, colocando-os para o uso da horta comunitária.

“São esses gestos e atitudes que fortalecem as entidades. Como nosso trabalho é gratuito, os custos são grandes e essa contribuição nos ajuda, somando com as necessidades do nosso dia a dia”, disse Isabel Pavan Castellar, coordenadora da Amcra.

Segundo o professor Fernando Sala os equipamentos chegaram em um bom momento, permitindo a manutenção do projeto. “Seria impossível dar continuidade e aumentarmos a produção sem o sistema de irrigação que recebemos do Rotary, além dos demais equipamentos que vão ajudar nos cuidados que precisamos ter”.

Já o coordenador do espaço, Ricardo Gonzaga da Silva, lembrou que sempre teve o sonho de trabalhar com as crianças e ensinar educação ambiental, mostrando a origem dos alimentos. “Depois surgiu a oportunidade de trabalhar com as instituições. E, no futuro, quero fazer desse espaço uma escola ambiental”, emendo ele, completando que as ferramentas vão ajudar a manter o espaço, sem que dependa do poder público da cidade que já tem outras 400 praças para cuidar.

 

Reportagem: Rafael Faria

Imagens: Ivo Patrezi

 

, , , , , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.