Como educar o pet sem traumatizá-lo

Quer algumas dicas de como educar o seu pet de uma maneira efetiva? Confira os direcionamentos abaixo!

Pesquisadores da Universidade do Porto, em Portugal, analisaram 92 cachorros em escolas de adestramento. Enquanto 42 deles eram treinados com o recurso das recompensas, como comida e brincadeiras, os outros 50 faziam parte de programas aversivos, em que as broncas imperavam. Após dois anos, os cientistas constataram sinais de nervosismo e pessimismo e níveis elevados de cortisol (o hormônio do estresse) apenas no segundo grupo.

A veterinária Marcela Barbieri Boro, da franquia Cão Cidadão, em São Paulo, afirma que submeter o pet a gritos e sermões dentro de casa também é capaz de levar a esses resultados.

“O cachorro pode sofrer danos cognitivos, metabólicos e comportamentais”, reforça a especialista.

Veja o que é válido (ou não) para ensinar e corrigir o animal
Petisco saudável: é uma boa forma de incentivo, mas em excesso leva à obesidade. Prefira os naturais.

Deixar de castigo: além de estressá-lo, não é tão útil. “Ele não associa ao mau comportamento”, esclarece a veterinária.

Voz de comando: se o pet fizer algo errado, dá para falar de forma assertiva e bater palma —só para chamar a atenção.

Carinho extra: “O reforço positivo se baseia em recompensas variadas, não apenas em comida”, nota Marcela.

Educador sanitário: “Ensine o lugar certo do xixi antes de recorrer ao repelente. Treinar é mais eficaz”, orienta.

Gasto de energia: ofereça objetos e brinquedos para que a mascote não morda móveis e sapatos.

 

Fonte: M de Mulher

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.