Clínica em casa? Conheça os riscos dos tratamentos estéticos caseiros que têm bombado na internet

Populares nas redes sociais, tratamentos de microagulhamento, dermaplaning e alta frequência não devem ser realizados por conta própria sob risco de infecções e ferimentos na pele.

Os tratamentos estéticos são uma excelente maneira de renovar a aparência da pele, podendo, dependendo do procedimento escolhido, melhorar a luminosidade, reduzir a aparência de manchas e rugas, combater cicatrizes de acne, entre diversos outros benefícios. No entanto, é imprescindível que esses tratamentos sejam realizados por profissionais especializados, o que, por incrível que pareça, tem se tornado cada vez menos comum, com muitas pessoas realizando tais procedimentos em casa devido a fatores como a influência da internet e a pandemia do Coronavírus. “Com a pandemia, as pessoas tiveram mais tempo para intensificar as rotinas de autocuidado e inserir mais etapas na hora de tratar da pele, o que é realmente excelente. O problema é que muitos desses indivíduos passaram a realizar sozinhos tratamentos que devem ser reservados aos profissionais de dermatologia ou estética, o que pode colocar a saúde desses pacientes em risco e trazer mais prejuízos do que benefícios para a pele. E o pior é que não é difícil encontrar pela internet influencers e blogueiras que ensinam como realizar esses procedimentos no conforto de casa, assim estimulando seu público a realizar esses procedimentos por conta própria”, alerta a Dra. Roberta Padovan, médica pós-graduada em Dermatologia e Medicina Estética.

O microagulhamento facial com dermaroller, por exemplo, é um tratamento já muito popular dentro das clínicas de estética e consultórios dermatológicos que tem viralizado em redes sociais como o Instagram e o TikTok. “O dermaroller é um pequeno instrumento em forma de rolo que conta com agulhas finas que penetram na pele para estimular a renovação celular e a produção de colágeno, tornando a mais firme, bonita e espessa, sendo então ideal para combater manchas, rugas, cicatrizes de acne e estrias. Além disso, o procedimento pode ser combinado ao uso de ativos para aumentar sua penetração na pele”, explica a especialista. “O problema é que, se realizado de maneira errada, o procedimento pode resultar em uma série de complicações, como infecções, já que os pequenos buracos abertos na pele são uma porta de entrada para vírus, fungos e bactérias. Além disso, caso o dermaroller seja aplicado com pressão excessiva ou no sentido errado, existe o risco da formação de feridas, manchas e cicatrizes.”

Outro tratamento que tem bombado na internet é o dermaplaning, que, segundo a Dra Roberta, consiste na utilização de um bisturi rente ao rosto para realizar uma esfoliação física, removendo pelos e células mortas e, consequentemente, melhorando o aspecto geral da pele. Na internet, no entanto, não é incomum ver o tratamento sendo realizado em casa com o auxílio de lâminas de barbear. “Além da possibilidade de infecção, o uso da lâmina de barbear para realização do dermaplaning pode facilmente causar cortes na pele, além de irritá-la caso feito com frequência excessiva”, alerta a médica.

Não tão conhecido quanto os outros procedimentos, o tratamento facial com alta frequência também vem ganhando destaque na internet e não é difícil encontrar esses equipamentos para comprar e utilizar em casa. “Muito usado em procedimentos de limpeza de pele, o aparelho de alta frequência possui eletrodos que, ao entrarem em contato com a pele, geram uma corrente elétrica que resulta na formação de ozônio, um gás com propriedade fungicida, bactericida, cicatrizante e descongestionante, sendo assim recomendado para cicatrizar feridas pós-extração de cravos e espinhas, acalmar a pele pós-depilação, aumentar a penetração de ativos cosméticos e revitalizar o tecido cutâneo através da melhora da oxigenação, nutrição e circulação do local”, diz a especialista. “Porém, esse procedimento não deve ser realizado em casa, pois o uso incorreto do aparelho de alta frequência pode causar queimaduras devido a liberação de correntes elétricas. Além disso, o tratamento possui uma série de contraindicações, incluindo gestantes, portadores de marca-passo e pacientes que sofrem com câncer, doenças cardíacas e diabetes.”

Por fim, a Dra. Roberta Padovan volta a ressaltar a importância de buscar um profissional especializado para realizar qualquer tipo de procedimento estético, independentemente da finalidade. “Além de realizar uma avaliação aprofundada de sua pele para recomendar o tratamento realmente mais adequado para o seu caso, o médico, através de sua ampla experiência e conhecimento da anatomia da pele, poderá garantir resultados satisfatórios sem colocar sua saúde em risco”, finaliza a médica.

 

Fonte: Dra. Roberta Padovan – Médicaespecialista em Medicina Estética e Dermatologia.

, , , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.