Alunas vencem Inova Jovem com app de prevenção de violência sexual para mulheres

Participar de competições, olimpíadas, desafios e demais atividades extracurriculares é um ponto primordial para o desenvolvimento profissional e pessoal de jovens. Quatro ex-participantes da maior competição de empreendedorismo do país para alunos do ensino médio e técnico, o Inova Jovem, promovido pela Agência de Inovação da Unicamp, relatam mudanças positivas e novas oportunidades após a experiência de aplicar uma ideia para desenvolver um negócio a partir do zero.

“Quando decidi participar do Inova Jovem eu não fazia ideia do que iríamos enfrentar, mas optei por sair da minha zona de conforto e conhecer coisas novas. Hoje, afirmo que a competição mudou o direcionamento do meu futuro, descobri o que quero fazer de faculdade durante as atividades do Inova Jovem”, conta Maria Beatriz Souza Neves, de 17 anos, que participou da edição de 2020 como uma das integrantes da equipe Meduza.

O Inova Jovem de 2021 é a oitava edição realizada da competição e já capacitou mais de 2 mil estudantes espalhados pelo Brasil. Essa possibilidade de ampliar o currículo ao participar de algo diferente do apresentado nos ensinos convencionais das escolas foi o que chamou a atenção das integrantes da equipe Meduza, vencedora do Inova Jovem do ano passado e composto por três estudantes da escola Poliedro de Campinas.

Assim como Neves, as colegas de time também nunca haviam tido contato com a temática anteriormente e esse é o objetivo principal do programa. O Inova Jovem busca apresentar o empreendedorismo como forma de carreira, além de estimular o desenvolvimento de um modelo de negócio baseado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), permitindo que os jovens criem oportunidades de impactar positivamente a sociedade, gerando valor social e econômico.

O projeto das vencedoras do ano passado foi um aplicativo de prevenção de violência sexual para mulheres, no qual serão reunidas informações sobre abuso, pontos de apoio, locais de denúncias e orientações sobre a Lei Maria da Penha. “A possibilidade de produzir algo que propõe uma solução social nos faz refletir sobre questões essenciais para o amadurecimento, como a empatia”, comenta Estela Salvi Curi, que cursa o último ano do ensino médio no colégio Poliedro.

Jovens que impactam o futuro

João Victor Cardoso Kdouk tinha apenas 16 anos de idade quando venceu a edição de 2018 do Inova Jovem e estudava no colégio Integral, atual Paineiras, em Campinas. Hoje, ele está em seu segundo ano de graduação do curso de Engenharia da Computação no Instituto de Tecnologia da Geórgia e mora em Atlanta, nos Estados Unidos.

“Eu comecei a programar com 12 anos de idade, mas foi o Inova Jovem que me apresentou o caminho do empreendedorismo. A competição me abriu os olhos para a possibilidade de tirar do papel o meu conhecimento sobre programação e levar para a sociedade”, afirma Kdouk.

O jovem, que já está com 19 anos, conta que além de todo o conhecimento ofertado sobre empreendedorismo, também aprendeu sobre trabalho em equipe e em como encarar desafios sem medo. “Eu e meus colegas de equipe nos desenvolvemos muito após o workshop, quando fomos desafiados pelo Inova Jovem a construir um modelo de negócio do zero”, expõe.

Como funciona a competição

O Inova Jovem é uma competição para ampliar os horizontes dos jovens do ensino médio e técnico fomentando a cultura do empreendedorismo e da inovação. Para isso, são ofertadas capacitações, como workshop de Business Model Canvas (uma metodologia de modelagem de negócios), mentorias com especialistas do mercado de trabalho e treinamentos de pitch,  para saber como apresentar seus negócios a possíveis investidores. A equipe vencedora é contemplada com um valor em dinheiro, além do certificado.

Para participar, basta ter entre 13 e 21 anos e fazer a inscrição com um equipe de no mínimo três participantes e no máximo cinco, podendo ser da mesma escola ou não, de qualquer cidade do Brasil. O indicado é que um dos membros da equipe faça a inscrição, até o dia 24 de agosto, como líder do time pelo formulário de inscrição de equipe. Posteriormente, todos os participantes devem preencher o formulário individual, com anexo da autorização do responsável para os menores de 18 anos.

Convite às escolas

A competição é aberta a todas as escolas do Brasil interessadas em oferecer uma oportunidade diferenciada aos alunos, estimulando o ensino sobre empreendedorismo, inovação e soluções de negócios sociais. O colégio Poliedro, patrocinador novamente da competição, estimula a participação dos alunos, flexibilizando as atividades dos estudantes para que eles possam dedicar tempo e atenção à competição. Queremos convidar escolas e professores que acreditam no desenvolvimento de estudantes ainda no ensino médio e técnico como futuros empreendedores do país a divulgar entre seus alunos a oportunidade.

“Esse contato com o empreendedorismo é muito importante para o amadurecimento, para abrir a cabeça com oportunidades que às vezes a gente nem percebe que tem”, completa Luiza Lima Marques, também integrante da equipe Meduza e estudante do colégio Poliedro.

Matéria original publicada no site da Agência de Inovação da Unicamp.

 

Fonte: Governo do Estado de SP

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.