6 dicas para incentivar seu filho a beber água

Hoje eu queria mesmo era escrever sobre o calor do carnaval e as possíveis manobras para não deixar a criançada à mercê de comidas e bebidas ultraprocessadas e açucaradas da rua. Infelizmente não temos carnaval, não temos crianças na rua, mas sim temos o calor do verão, e nessa época mesmo em casa é necessário ficar atento ao consumo de água das crianças.

Os bebês que estão em aleitamento materno exclusivo não são uma preocupação, pois o próprio leite é capaz de fornecer toda a hidratação necessária para o organismo se manter saudável.

Porém, entre as crianças maiores, são poucas as que têm o hábito de beber água com regularidade. Uma pesquisa publicada no European Journal of Nutrition, afirma que crianças entre 4 e 17 na maioria não atingem a recomendação diária de consumo.

Só pra vocês terem uma ideia, a recomendação para crianças de até 3 anos é de 1,3 litro/dia, até 8 anos 1,7 litro, e para pré-adolescentes e adolescente pode variar entre 2 e 3 litros a depender do peso, altura, temperatura local, prática de atividade física, entre outros fatores.

Um outro estudo assustador mostra que 30% das crianças brasileiras tomam refrigerantes antes dos 2 anos de idade. Bebidas açucaradas como sucos e refrigerantes são os principais motivos para que as crianças bebam pouca água.

O consumo adequado de água ajuda o organismo a enfrentar estresses metabólicos, diminui o risco de desenvolver doenças crônicas como diabetes tipo 2 e doenças do coração, também ajuda a combater a obesidade e sobrepeso infantil. Ela dá um descanso para o processo digestivo e para o aparelho renal, sem falar que é um componente estrutural para todas as células do nosso corpo. Como podem ver, motivos não faltam para estimular o consumo de água na criançada.

Se seu filho não tem o hábito de beber água com frequência e pensar em oferecer um único litro para ele parece uma missão impossível, aí vão algumas sugestões e estratégias que eu uso nos atendimentos e funciona muito bem:

1 – Converse com a criança sobre a importância da hidratação e mostre para ela a meta ideal de consumo.

2 – Crie metas intermediárias e aos poucos, a cada conquista a encoraje a aumentar um pouco a meta. Por exemplo: comece com 500 ml por dia, alguns dias depois aumente para 800 ml, e assim até que ela consiga atingir a quantidade ideal para sua idade.

3 – Tenha uma garrafinha especial para a criança, ela mesma pode escolher, e a mantenha sempre por perto, a meta será atingida de golinho em golinho. Não adianta nada esquecer de beber água o dia todo e a noite beber tudo de uma vez. Isso só vai servir para aumentar o risco de um colchão molhado na madrugada.

4 – Seja um bom exemplo, tenha você a sua garrafinha e sempre que beber lembre a criança de beber também.

5 – Não tenha pena de oferecer água para a criança. Hábitos são adquiridos pela prática. No começo ela pode achar chato, mas aos poucos vai se acostumando e depois pode até gostar.

6 – Quanto ela pedir suco ou refrigerante, ofereça água primeiro. Mesmo que depois ela insista na bebida açucarada, o volume ingerido tende a ser menor.

Durante os dias de mais calor é importante ficar atento aos sinais de desidratação. Quando a criança pede para beber algo, já está no estágio inicial de desidratação. Outros sinais são diminuição do volume de xixi, xixi escuro, saliva espessa, olho fundo – sem brilho – e boca seca.

 

Fonte: Gabriela Kapim (Nutricionista, Formada pela USU – Rio de Janeiro em 2003, especializada em alimentação infantil)

Imagem: Divulgação

, , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.